Certificação do processo de RVCC profissional de Eletricista de Instalações, nível 2 na EPM

Realizou-se ontem, dia 18 de dezembro, a sessão de júri de certificação do processo de RVCC profissional de Eletricista de Instalações, nível 2.

A equipa do Centro Qualifica e o Conselho de Administração da AFPDM  felicita os 7 candidatos que finalizaram, com sucesso, esta última fase.

Desejamos que a passagem pelo nosso Centro Qualifica, venha reforçar a importância da aprendizagem ao longo da vida, quer para fins profissionais, quer pessoais.

3ª Edição do Dia da Cidade Educadora na EPM

A 30 de novembro a Escola Profissional do Montijo, associou-se à celebração do Dia Internacional da Cidade Educadora. Ao longo de todo o dia, decorreram um conjunto de ações dirigidas à comunidade educativa, em particular aos seus formandos, sob o tema “Utilização das Redes Sociais e Tecnologias de Informação e Comunicação”.

A 30 de novembro a Escola Profissional do Montijo, associou-se à celebração do Dia Internacional da Cidade Educadora. Ao…

Publicado por Afpdm – EPM em Terça-feira, 4 de Dezembro de 2018

Workshops culinários: “Natal Saudável” e “Um Natal diferente: Pais e Filhos na Cozinha”

A Associação para a Formação Profissional e Desenvolvimento do Montijo/Escola Profissional do Montijo vai promover dois Workshops culinários: “Natal Saudável” e “Um Natal diferente: Pais e Filhos na Cozinha”.

Venha aprender receitas saudáveis e diferentes para esta época festiva e partilhar momentos de alegria com os seus mini-chefs!

Não deixe de participar nesta experiência.

Inscrições abertas nos serviços administrativos da Escola Profissional do Montijo.

Direitos Humanos, Migração e Refúgio

No passado dia 19 de novembro decorreu, no auditório da Escola Profissional de Montijo, mais uma atividade promovida pelo PICA- Projeto de Intervenção Cultura e Arte, integrada no ciclo dedicado aos Direito Humanos. A sessão “ À conversa com…” contou com a participação do Alto Comissário para as Migrações, Pedro Calado e da fotógrafa Joana Bom, autora da obra fotográfica que integra a exposição patente no átrio deste estabelecimento de ensino, “Refugiados, entre Grécia e a Macedónia”, inaugurada também nessa tarde.
O vasto conhecimento e experiência sobre a temática das migrações, assim como as suas características como orador, tornaram a apresentação de Pedro Calado muito clara, cativante e esclarecedora. Promovendo momentos de aprendizagem ativa e reflexiva sobre um assunto tão atual e relevante para a consolidação da Democracia e dos Direitos Humanos, o Alto Comissário deu mais um contributo para o combate de preconceitos através do conhecimento da realidade e para o derrube dos muros que existem em torno da questão dos refugiados. Neste contexto fará sentido lembrar a escritora Chimamanda Adichie que nos alerta para os perigos da “história única”, conduzindo à criação de estereótipos.


Num ano em que se assinalam os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, é importante reforçar os valores que devem nortear a Humanidade, promover o respeito pela dignidade da pessoa humana e a solidariedade com o “outro”.
Joana Bom, jovem formada em Economia, tem vindo a desenvolver o seu gosto pelo fotojornalismo, debruçando-se sobre temas de conflito na conjuntura atual, como a questão do fluxo de refugiados na Europa. Na sua intervenção, a fotógrafa Joana Bom partilhou a experiência vivida ao acompanhar o percurso dos refugiados que usaram a Grécia como porta de entrada entre setembro e outubro de 2015 e que enfrentaram como primeira fronteira europeia a Macedónia.
Convidamos a comunidade a visitar a exposição e conhecer o trabalho de Joana que escolheu a fotografia para retratar o drama dos refugiados e registar aquilo que nunca deveríamos ter visto no porto de Pireus, na Praça Vitória e no campo de refugiados em Gevgelija.
São imagens às quais é impossível ficar indiferente e que não iremos esquecer, mesmo que as vejamos só uma vez.

A ESCOLA PROFISSIONAL DO MONTIJO É ASSOCIADA DA UNESCO NO MUNDO

A Escola Profissional do Montijo, desde o inicio do mês de novembro uniu-se a rede das escolas associadas a Unesco, com um conjunto de atividades que visam trabalhar “A Educação para o Desenvolvimento Sustentável.”

A UNESCO é a única Organização das Nações Unidas especializada em educação. Desde a sua criação, em 1945, que tem trabalhado para a melhoria da educação em todo o mundo, através de iniciativas diversas, concessão de apoio técnico, da elaboração de projetos inovadores, no reforço da formação especializada e do trabalho em rede. A UNESCO crê que a educação oferece respostas para muitos dos problemas que a Humanidade enfrenta e a educação é a maneira eficaz de lutar contra a pobreza para a construção de uma cultura de paz. Os três objetivos estratégicos da UNESCO no âmbito educativo são:
1. Promover a educação como um direito fundamental

2. Melhorar a qualidade da educação

3. Estimular a experimentação, a inovação e o diálogo

E mediante a Estratégia a Médio Prazo 2015/2021 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na nova Agenda Pós 2015, foram delineados os seguintes propósitos:

– Promover a Educação como instrumento essencial para o desenvolvimento económico e social

– Dinamizar a visão humanista e integral da educação como direito humano

– Incrementar uma educação de qualidade

– Fomentar uma Educação para a Cidadania Global

A Rede das escolas associadas trabalha em prol de quatro grandes temas de estudo:

1. As preocupações mundiais e o papel das Nações Unidas

2. A educação para o Desenvolvimento Sustentável

3. A paz e os Direitos Humanos

4. A aprendizagem intercultural

A principal missão de uma escola associada é a de fomentar a cooperação internacional e a paz. No âmbito nacional, importar inovações e dinamizá-las no sistema educativo e no plano internacional difundir os resultados obtidos.

 

A TERRA TREME realizou-se no dia 5 de novembro na EPM

O exercício nacional A TERRA TREME realizou-se no dia 5 de novembro, pelas 11h05.

Esta iniciativa, promovida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, procurou chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo, mas que podem salvar vidas. Com a duração de apenas 1 minuto, durante o qual os participantes foram convidados a executar os 3 gestos que salvam: BAIXAR, PROTEGER E AGUARDAR.

Esta atividade, incluída na área da Educação para a Cidadania, teve como finalidade desenvolver e reforçar uma cultura de segurança, promovendo uma cidadania ativa e participativa desde cedo, nas crianças e jovens dos vários níveis de educação e ensino.